Apresentação do Projeto
Programação
Objetivos
Organização
Resgatando a memória dos compositores baianos
Apresentação da formação
Concurso
Critérios de seleção dos participantes

Horários das classes, concertos e outros eventos do ItapaLírica

Estou interessado / interessada!

 

APRESENTAÇÃO DO PROJETO

ItapaLíricaFestival Lírico da Ilha de Itaparica – tem caráter didático e visa resgatar a memória dos compositores  eruditos baianos, integrando-os à arte lírica internacional.

A data escolhida incentivará a frequência do público em período de baixa estação. No Brasil, existem festivais de inverno no eixo do sul e sudeste do Brasil, deixando o nordeste preterido e, sem oportunidade lírica para os filhos da sua terra. O ItapaLírica será organizado da segunda-feira, 02 de julho de 2018 até o domingo, 08 de julho de 2018.

Desde a poesia de João Ubaldo Ribeiro à cantoria dos ambulantes (varredores, vendedores), fiéis de procissões e igrejas, observa-se uma grande musicalidade na Ilha de Itaparica.

Os cantores solistas e coristas de todo o Brasil, participantes do festival, descobrirão os compositores baianos que diversificaram o cancioneiro brasileiro. O projeto ItapaLírica mostrará que a Bahia, além de deixar marcas na arquitetura barroca, foi também o berço da música clássico-barroca, sem desprezar os já conhecidos artistas de grande envergadura na música popular atual.

Diante de um público geral, os participantes exibirão suas habilidades vocais e interpretativas. Eles serão julgados a cada dia pelo jurado e pelo público durante as apresentações noturnas, os concertos públicos temáticos.  Os concertos públicos confrontarão o público com a sua própria história, pois a música na Bahia foi o berço da música brasileira, a primeira página musical profana, genuinamente brasileira foi a cantata acadêmica Heroe egrégio, douto peregrino de compositor desconhecido (1759).  Os compositores mestiços, deixaram o nome na história da música e muitos escravos anônimos. Estes anônimos são como as pedras do Pelourinho que hoje pisamos, esquecendo-nos das mãos escravas que os colocaram.

Da mesma forma que a música popular excita o corpo, a música lírica apela para os sentimentos e o intelecto. O canto lírico potencializa o apelo intelectual dos ouvintes, despertando interesse na associação música-poesia. A Ilha de Itaparica teve grande relevância política e cultural no passado. Hoje a Ilha está restrita ao turismo e seus habitantes, que com raras exceções, ignoram o importante papel histórico desta Ilha para o povo brasileiro.

O festival tem como mérito precípuo ser o único do gênero.

PROGRAMAÇÃO

Festival Lírico da Ilha de Itaparica
03 de julho de 2018 – 08 de julho de 2018
Itaparica – Bahia

Abertura

Às 20h
Da segunda-feira, 02 de julho de 2018
Hotel ICARAÍ – Itaparica – Bahia

Concertos

Às 20h
Da terça-feira, 03 de julho de 2018 até o sábado, 08 de julho de 2018
Hotel ICARAÍ – Itaparica – Bahia

Seminários e Palestras

Da terça-feira, 03 de julho de 2018 até a sexta-feira, 07 de julho de 2018
Hotel ICARAÌ – Itaparica – Bahia

Oficinas

Da terça-feira, 03 de julho de 2018 até a sexta feira, 06 de julho de 2018
Casa de Cultura e Ética Mirante do Solar – Itaparica – Bahia

 

OBJETIVOS 

Objetivo Geral:

– Popularizar a arte lírica, através de capacitação de cantores líricos e da formação de platéia, proporcionando a diversidade na música da Bahia, que atualmente está circunscrita principalmente aos ritmos afro-brasileiros, esquecendo das raízes ameríndias e matrizes de influência européia.

Objetivos Específicos:

  • Promover o turismo cultural no período invernal, o qual normalmente figura uma baixa no comércio de itaparicano.
  • Permitir à audiência baiana o vislumbre dos aspectos pluriculturais, dando fim à monocultura reinante na música atual, onde o ouvinte baiano não tem acesso à música erudita, como em outros estados do Brasil.
  • Gerar oportunidade de emprego e renda para profissionais habitantes neste estado (fotografia, iluminação, técnica de gravação).
  • Dinamizar a formação de platéia, despertando na comunidade, como um todo, atenção para outro tipo de estética no canto, além da música popular. Os baianos serão levados a entender que o canto lírico pode fazer parte do seu cotidiano, desmistificando a arte entendida como sendo das elites.
  • Despertar o interesse das massas para outra estética, ou seja, acessibilizar a arte lírica ao grande público.
  • Proporcionar um espírito de autocrítica e emulação na arte lírica.
  • Promover a autoestima do cantor erudito baiano, desenvolvendo o sentimento de pertencimento a um estado que lhe oferece possibilidades de escolha.
  • Conscientizar os cantores líricos da necessidade de uma pesquisa na interpretação que vai além da emissão vocal.
  • Desenvolvimento de ação de registro da musicologia baiana.
  • Elevar o canto erudito à categoria de pesquisa científica da voz cantada (aulas de formação).
  • Possibilitar o uso da linguagem vocal, poética e gestual interagindo com o público.
  • Capacitar cantores líricos para um melhor desempenho
  • Acessibilizar a arte lírica ao grande público.
  • Elevar o canto erudito à categoria de pesquisa musicológica, despertando a consciência dos cantores para a musicologia, além da interpretação.
  • Oferecer um curso de iniciação musical de flauta, violão e violino para 30 (vinte) crianças itaparicanas, entre 08 e 15 anos.
  • Proporcionar um espírito de autocrítica
  • Possibilitar o uso da linguagem vocal, poética e gestual interagindo com o público.

 

ORGANIZAÇÃO

ItapaLírica contém 05 (cinco) aspectos:

1º- Formação lírica, para 20 jovens cantores, através de oficinas de canto lírico, na Casa de Cultura e Ética Mirante do Solar

Público alvo: 20 (vinte) cantores líricos de 12 a 35 anos, os quais terão aulas, entre os dias 03 a 07 de julho durante os períodos matutino e vespertino.

2º- Concertos públicos diários no Hotel Icaraí com os professores e cantores da oficina de canto lírico, nos dias 3, 4, 5, 6 e 7 de julho às 20h.

3º- Festival do cinema operístico, mais palestras de música erudita, no Casarão Solar del Rey, no período vespertino

Os filmes serão seguidos com palestras ou discussões orientadas dos musicólogos: Dr.Juvino Alves, Dr. Jamary Oliveira e Dr. Pablo Sotuyo.

4º – Aulas de flauta, violão e violino para iniciantes (crianças entre 8 a 12 anos)

5º- Encontro de Coristas

No tocante à formação lírica, serão selecionados 20 (vinte) jovens cantores, sendo 10 (dez) rapazes e 10 (dez) moças da Bahia e todo o Brasil, os quais poderão usufruir de:

  • Aulas de expressão corporal, com a cantora lírica Adalgisa Rosa;
  • Técnica vocal, trabalhando de forma criativa e inovadora, com Lício Bruno;
  • Os cantores baianos terão a possibilidade de exercer trocas intelectuais com os demais compatriotas, deixando de serem ilhados culturalmente, e terão acesso a grandes mestres do cenário internacional.
  • Competição premiada

ItapaLírica será dirigido para as faixas etárias iniciantes e avançados, a saber: de 12 a 20 anos (iniciantes) e, de 21 a 35 anos (avançados). Serão seus professores:

O cantor lírico, baixo-baritono Me. Lício Bruno;

O Fonoaudiólogo Ivan Alexandre para análise computadorizada da voz (nova tecnologia no estudo da voz cantada) com o;

A cantora lírica, Me. Cyrene Paparotti , para dicção de português nacional e línguas estrangeiras,

Na correpetição, contamos com a pianista Débora Lima Limeira.

As aulas de flauta serão ministradas pela   Dra. Silvia Regina Gregoris.

As aulas de violino serão ministradas para iniciantes (20 crianças itaparicanas entre 8 e 15 anos).

Com relação ao grande público, durante o dia, eles poderão usufruir de palestras sobre a música erudita brasileira com os doutores Juvino Alves, Jamary Oliveira, Paulo Esper e Fernando Cerqueira, filmes sobre ópera e passeios culturais em Itaparica (Visita das igrejas, Fonte da Bica, Biblioteca Juracy Magalhães Junior, Forte São Lourenço, e o circuito Maria Felipa)

O festival ItapaLírica terá à disposição um banco de partituras, desde o século XVIII até os nossos dias, do cancioneiro erudito baiano, resgatando assim a posição eminente da Bahia como produtora de música erudita, muito antes da profusão da música popular.

Diante de um público geral, os participantes exibirão suas habilidades vocais e interpretativas, trabalhando em pról do bel canto e garantindo a democratização do canto lírico. Eles estarão em competição premiada a cada noite.

A data escolhida incentivará a frequência do público em período de baixa estação. No Brasil, existem festivais de inverno no eixo do sul e sudeste do Brasil, deixando o nordeste preterido e, sem oportunidade lírica para os filhos da sua terra. O ItapaLírica será organizado da segunda-feira, 02 de julho de 2018 até sábado, 07 de julho de 2018

 

RESGATANDO A MEMÓRIA DOS COMPOSITORES BAIANOS

O fato de resgatar a memória de compositores baianos, justifica o projeto em si. Os compositores em evidência serão: o filho da Ilha Damião Barbosa, o cachoeirense Tranquilino Bastos e os soteropolitanos Antonio Sá Pereira, Sylvio Deolindo Fróes, Jamary Oliveira, Lindemberg Cardoso, José Rebouças e anônimos. A música erudita que tem sido negligenciada e considerada impopular, por esta razão, o projeto visa popularizar esta música impopular; permitindo ao público de ouvi-la, a música erudita se tornará mais familiar.  Itaparica merece ser promovida à cidade de Turismo Cultural da Bahia.

Na Bahia, a arte lírica não despertava interesse das massas. Porém após o sucesso do Festival Lírico de Salvador, o Salvalírico I, II e III, mais a recente criação da CIA Ópera Brasileira e do Núcleo de Ópera em Salvador, temos um evidente interesse e apoio à arte lírica. A exibição de cantores participantes do Salvalírico (pós festival), em Itaparica já despertou o interesse de uma empresa paulista (IORGA) para a formação do Coro Infanto-Juvenil da Ilha o qual funcionou durante dois anos. O Salvalírico criou em Salvador, novos referenciais para uma arte até então negligenciada. Desenvolver talentos locais e exibí-los na esfera nacional e internacional (dois dos vencedores soteropolitanos do Salvalírico I, II e III estão atualmente seguindo carreira na Europa), outros estão seguindo carreira em São Paulo e Rio.  O Salvalírico já é referência em São Paulo (graças ao Salvalírico, a Cia Brasileira de Ópera contratou cantores daqui para o seu coro. O catálogo paranaense Neyde Thomas na p. 247, já notícia com destaque o Salvalírico.

Já na Ilha de Itaparica, desde os tempos de Damião Barbosa, a arte lírica não despertava interesse do grande público, porém, após o sucesso de cinco concertos realizados na Biblioteca Estadual Juracy Magalhães Júnior (Município de Itaparica), dois na Igreja de São Lourenço (Município de Itaparica), cinco no Casarão Solar del Rey (Município de Itaparica), dois na Igreja Matriz do Sagrado Coração de Jesus (Município de Vera Cruz),…mais a criação de duas óperas, pudemos observar que existe uma audiência muito encantada com a arte lírica e em termos de apoio obtivemos algumas contribuições. Já conseguimos a simpatia e apoio de comerciantes da Ilha, da Prefeitura Municipal de Vera Cruz e da Secretaria de Turismo do Estado da Bahia – Bahiatursa.  Mas a organização de um festival demanda um patrocínio que venha de fundos maiores e de grandes apoiadores. Esta iniciativa poderá despertar a atenção de empresas baianas lançando bases para projetos vindouros.

O impacto da música para a economia local, poderá estimular capacitações e promover a interação da cultura com a educação. Logo, Itaparica possibilitará, através do ItapaLírica, a atração de maiores investimentos no segmento da economia criativa e irá aquecer o turismo cultural.

 

APRESENTAÇÃO DA FORMAÇÃO

ItapaLírica resgatará a memória de compositores baianos na música erudita, formando músicos para interpretação e pesquisa das obras baianas em vários domínios: vocal, camerístico e grandes conjuntos (coral, filarmônica, fanfarra e dança).  Trará ao publico a música de câmara e a operística internacional.

Os cursos serão ministrados pelo sistema de aulas expositivas e/ ou master classes. Os participantes receberão um certificado de 34 horas, sendo 24 horas de aula e 10 horas de concerto.

 Musicologia brasileira

Professores: Juvino Alves, Conceição Perrone

Os professores palestrantes explanarão a vida e obra dos compositores baianos: Damião Barbosa, Tranquilino Bastos, Sylvio Deolindo Fróes, Jamary Oliveira, Lindemberg Cardoso, José Rebouças e anônimos.

Master Classes

Professores: Cyrene Paparotti (soprano), Licio Bruno (baixo barítono), Adalgisa Rosa (mezzo soprano)

Palestrantes: Os doutores Juvino Alves, Jamary Oliveira, Paulo Esper, Conceição Perrone

Iniciação ao violino: Júnio Santana

Iniciação ao violão: José Carlos Filho

Iniciação à flauta: Dra. Silvia Regina Gregoris

Coral: Maestro Dilton César

 

CONCURSO

Diante de um público geral, os participantes exibirão suas habilidades vocais e interpretativas. Os cantores da oficina trabalharão em prol da procura do belo (bel canto) garantindo a democratização do canto lírico. Da mesma forma que a música popular excita o corpo, a música lírica apela para os sentimentos e o intelecto. Uma vez, devidamente treinados, eles entrarão em competição a cada noite.

           A premiação contemplará um concerto em Salvador e parte em dinheiro, em um total de: R$ 5.750,00

Categoria avançada:

1º Lugar R$2.000 / 2º Lugar R$1.000 / 3º Lugar R$500

Categoria Júnior

1º Lugar R$1.000 / 2º Lugar R$750 / 3º Lugar R$500

          Os professores são personalidades reconhecidas no meio lírico tanto no plano nacional como internacionalmente, como o baixo barítono Lício Bruno, a mezzo soprano Adalgisa Rosa, e a soprano Cyrene Paparotti, além do auxílio imprescindível da pianista Débora Limeira. A cada noite, no Hotel Icaraí, às 20 horas haverá uma apresentação. Todos os participantes da oficina cantarão sob um tema:

Segunda-feira, 2 de julho às 17h – credenciais / 20h – Abertura

Terça-feira, 3 de julho- -Noite Espanhola

Quarta-feira, 4 de julho -Noite Francesa e Alemã

Quinta-feira, 5 de julho – Noite do Canto Erudito Baiano

Sexta-feira   6 de julho – Noite Internacional de Ópera

Sábado, 7 de julho – Concerto de Gala dos Professores

Domingo, 8 de julho- Despedida dos TURISTAS culturais, professores e dos alunos

 

CRITERIOS DE SELEÇÃO DOS PARTICIPANTES

Os interessados enviarão um vídeo contendo interpretação de música erudita brasileira de qualquer compositor do século XIX ou XX e uma peça de compositor estrangeiro, via link pela internet.

O material fonográfico deverá ser enviado entre 25 de maio de 2018 e 1 de junho (prorrogado até 15 de junho).

Não haverá seleção para os aprendizes de instrumento (valem os 20 PRIMEIROS)

Os participantes serão comunicados na primeira semana de junho de 2018

Serão escolhidos os intérpretes de melhor técnica.

Os coristas serão pessoas locais ou turistas coristas.

 

Está interessado / interessada? Ainda tem dúvidas? Deixa seus dados abaixo

Se já estiver decidido(a), faça já sua inscricão aqui:

– Veja o Regulamento para Cantores aqui
– Veja o Regulamento para Coristas aqui
– Veja o Regulamento para Instrumentistas aqui